Advogado português passa a presidente cessante da União Internacional de Advogados

Advogado português passa a presidente cessante da União Internacional de Advogados

O primeiro português a ocupar o cargo de presidente foi Adelino da Palma Carlos, em 1962

Pedro Pais de Almeida deixou o cargo de presidente da União Internacional de Advogados (UIA) no fim de semana passado, passando assim a presidente cessante.

Esta é a segunda vez que a UIA é presidida por um português: Pais de Almeida assumiu a presidência 55 anos depois de Adelino da Palma Carlos ter liderado esta entidade, em 1962.

Ao í, Pedro Pais de Almeida, que ocupa agora o cargo de presidente cessante, disse ontem que ter liderado a UIA foi um motivo de "grande orgulho". "O primeiro [português neste cargo] foi o professor Adelino da Palma Carlos em 1962/63 [...]. É obviamente um grande orgulho e ao mesmo tempo um grande sentido de responsabilidade", completou.

Para os próximos anos, Pais de Almeida revelou que não há nomes de portugueses na lista para a cadeira da presidência: "Já estão eleitos os presidentes para os próximos dois anos, para além do presidente em exercício, não há nenhum português que esteja posicionado para lá chegar". "Gostava muito que se não fosse um português, pelo menos, que fosse um lusófono", acrescentou.

Durante a sua presidência, Pedro Pais de Almeida decidiu lutar contra a escravatura dos tempos modernos. Ao i afirmou que escolheu esse tema por considerar que deveria "chamar a atenção da comunidade internacional para o envolvimento dos advogados neste combate". Para o presidente cessante, os advogados podem desempenhar um papel muito importante nesta matéria Como? 'Tazendo pressão para que exista regulamentação específica" - atualmente apenas o Reino Unido tem uma lei em vigor específica para combater a escravatura dos tempos modernos - e prestando "assessoria jurídica pro bono as vitimas".

Este último ano, enquanto presidente, foi uma passo em frente para combater esta questão, mas ainda há muito por fazer, admitiu.

A presidência da UIA funciona com um mandato de quatro anos, mas de ano a ano o cargo muda: primeiro é eleito o vice-presidente, que no ano seguinte passa a presidente eleito. Após outro ano, esse presidente eleito passa a presidente e, por fim, chega a presidente cessante - que substitui o presidente quando este está ausente. "No fundo é uma mandato de quatro anos dividido" em quatro categorias, explicou.

13/11/2018 01:06:10