Advogada iraniana, prémio Sakharov, condenada a 38 anos de cadeia... e 148 chicotadas

Advogada iraniana, prémio Sakharov, condenada a 38 anos de cadeia... e 148 chicotadas

Nasrin Sotoudeh foi detida em junho de 2018 quando representava diversas mulheres que se recusaram a usar o hijab. Para além do tempo de cadeia, a advogada vai ainda receber 148 chicotadas.

A informação foi avançada pelo marido no Facebook. Reza Kandan escreveu, há algumas horas, que falou ao telefone com a mulher e que ela lhe contou o resultado deste último julgamento. As autoridades iranianas dizem que a condenação foi a cinco anos de cadeia, mas tanto o marido de Sotoudeh como o Centro de Direitos Humanos do Irão garantem que essa foi apenas a pena de um dos processos. No outro, que terminou em janeiro, a condenação foi a 33 anos e 148 chicotadas. Somadas, as duas penas representam 38 anos de encarceramento.  A ativista dos direitos humanos iraniana, que em 2012 recebeu o Prémio Sakharov, foi considerada culpada pelos crimes de espionagem, difusão de propaganda contra o Estado, insultos ao líder supremo do Irão, encorajamento à corrupção e à prostituição, por aparecer em tribunal sem hijab, por perturbar a paz e a ordem pública e por pertencer a organizações cívicas.

Narsin Sotoudeh reclama inocência em todas as acusações.

Sotoudeh, que tem 55 anos, já em 2011 tinha sido condenada a seis anos de prisão por agir contra a segurança nacional. Foi nessa altura que o Parlamento Europeu lhe atribuiu o prémio Sakharov, pelo trabalho enquanto representante dos ativistas da oposição iraniana.

A notícia desta nova condenação surge depois de o Irão ter nomeado um novo chefe do sistema judicial, um clérigo da linha dura que é um protegido do líder supremo, Ali Khamenei. A nomeação foi vista como uma ação para enfraquecer a influência política do Presidente Hassan Rouhani, que é considerado um moderado.

A Amnistia Internacional já condenou a atuação da justiça iraniana, considerando uma vergonha a sentença aplicada à advogada por causa do trabalho que faz em defesa dos direitos humanos.

21/10/2019 00:43:12