Trinta anos de Web e ainda só surfamos à superfície

Há 30 anos os esforços de um cientista inglês para simplificar as suas tarefas deram origem à internet tal como a conhecemos. Alguns anos depois, o www chegava a Portugal.

12 de março de 1989. Nove dias antes, Portugal sagrava-se Campeão do Mundo de Futebol de Juniores em Riade, em Berlim o Muro ainda não tinha caído, e em Genebra o cientista britânico Tim Berners-Lee concluía um relatório que propunha melhorar a gestão da informação no Centro Europeu de Física de Partículas (CERN).

Esse documento, de 20 páginas, com o humilde título "Gestão da Informação: Uma Proposta", continha as ideias que um ano depois levaram à criação da Web.Há algum tempo que este britânico, de 34 anos, procurava uma forma de tornar o seu trabalho mais simples. Berners-Lee era responsável por dar apoio aos milhares de cientistas que visitavam o CERN e cujos computadores não comunicavam entre si. Como explicou mais tarde, "uma das coisas que os computadores não faziam era estabelecer associações entre coisas díspares, algo que a mente humana faz. Nos anos 80 utilizei alguns programas para armazenar informação com links aleatórios." O primeiro desenvolvimento foi, por isso, uma aplicação que permitia a interligação entre todas as investigações e computadores que trabalhavam no Centro. Nesta altura a internet já existia, mas ainda longe daquilo que hoje conhecemos. Era "um conjunto de cabos e um protocolo para enviar informação através desses cabos. A Web seria uma aplicação que funcionaria na internet. O que aconteceu foi que se tornou na aplicação principal", explica Mark Mischetti, editor da revista Scientific American. Berners-Lee conseguiu unir um conjunto de tecnologias já existentes, como a Internet, o Hipertexto, TCP, FTP e DNS.

18/03/2019 21:36:41