Multas entre 250 e 1250 euros por conduzir e falar ao telemóvel

Multas entre 250 e 1250 euros por conduzir e falar ao telemóvel

Proposta do Governo prevê que as coimas dupliquem e haja perda de três pontos

segurança O valor das multas aos condutores por falarem ao telemóvel enquanto conduzem poderão duplicar, se for aprovada a proposta de decreto-lei do Governo, que fixa coimas entre 250 e 1250 euros. E, em vez de dois, os pontos perdidos na carta de condução com esta contraordenação grave serão três.

Atualmente, as multas vão desde os 120 aos 600 euros. A proposta de aumento, que aguarda aprovação em Conselho de Ministros, foi noticiada pelo Público. O Ministério da Administração Interna escusou-se, porém, a confirmar ao JN a proposta ou a adiantar quando prevê que seja discutida.

No documento, o Governo alega que para reduzir a sinistralidade, "impõe-se proceder a algumas alterações ao código da estrada, bem como a legislação complementar". Nota ainda que, face à "crescente causa de sinistralidade rodoviária por utilização ou manuseamento continuado de aparelhos radiotelefónicos e similares", sanciona-se "de forma mais gravosa" o condutor "com vista a dissuadir estes comportamentos de risco".

O primeiro ponto do artigo 84.° mantém que "é proibida ao condutor, durante a marcha do veículo, a utilização ou o manuseamento de forma continuada de qualquer tipo de equipamento ou aparelho suscetível de prejudicar a condução, designadamente auscultadores sonoros e aparelhos radiotelefónicos". Desta proibição são excluídos aparelhos com um único auricular ou microfone com alta voz, que não impliquem manuseamento continuado, ou sejam usados no ensino da condução.

21/10/2019 00:45:33