Castro Caldas, antigo ministro, faleceu

Castro Caldas, antigo ministro, faleceu

Óbito Júlio Castro Caldas foi ministro da Defesa Nacional no governo de Guterres e bastonário da Ordem dos Advogados

Nascido em Lisboa, em 1943, Júlio de Lemos Pereira de Castro Caldas licenciou-se em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, tornou-se advogado e foi sócio do escritório que fundou: o CS A & Associados. Em termos políticos, ocupou o cargo de deputado entre 1980 e 1983, eleito nas listas do PSD e da Aliança Democrática pelo círculo de Vlanado Castelo (chegou a ser vice-presidente da bancada) e foi ministro da Defesa de 1999 a 2001, desta feita, num governo socialista. Além disso, Castro Caldas ainda ajudou a fundar a Sedes e a Sociedade Portuguesa de Arbitragem. Entre a vasta actividade profissional de Júlio Castro Caldas, conta-se a passagem pela Ordem dos Advogados, primeiro como vogal do Conselho Distrital (entre 1977 e 1980), depois como vogal-tesoureiro (de 1983 a 1985) e, finalmente, como bastonário, entre 1993 1998. Foi, ainda, presidente da Federation des Barreauxd'Europe e vogal do Conselho Superior do Ministério Público, durante 11 anos. O advogado desempenhou, ainda, vários cargos em conselho de administração de empresas. Nos CTT, foi presidente da Mesa da Assembleia Geral de Accionistas e no Grupo Soares da Costa, presidiu ao conselho fiscal. Foi, ainda, presidente do Banco Bilhão , Vizcaya Argentaria,-durante dois mandatos, e do comité de auditoria das companhias de Seguros Global e Global Vida.

26/05/2020 18:46:25