Crime no estádio  


A psicologia das multidões ensina-nos que dentro de um grupo de pessoas o sentido de responsabilidade pessoal dos indivíduos é enfraquecido e estes são contagiados pelas emoções do grupo, que facilmente os conduz à prática de crimes.

Na nossa sociedade, este fenómeno é especialmente observado nos estádios de futebol, em que frequentemente se assiste a manifestações de violência por parte de grupos organizados, sem que os clubes ou as próprias forças da ordem consigam controlar a situação.

O art. 240.º do Código Penal pune com pena de prisão de seis meses a cinco anos quem injuriar uma pessoa por causa da sua raça. O insulto racista a um jogador de futebol integra assim claramente este tipo de crime, que as autoridades deveriam por isso ter imediatamente reprimido.

Mas este foi apenas um de muitos crimes que são sistematicamente praticados nos nossos estádios, como as injúrias e as agressões a adeptos e jogadores e até o atropelamento mortal de um adepto numa guerra de claques.

É mais do que tempo de as autoridades actuarem e imporem o cumprimento da lei do país nos estádios de futebol.

Os cidadãos pagam impostos para verem os seus direitos respeitados.  

 

Luís Menezes Leitão

Bastonário da Ordem dos Advogados

21/04/2021 19:00:54