Juízes dizem que Justiça em casa está a ser muito mais lenta

 Acesso remoto ao Citius lidera dificuldades. Adiadas quase 90% das diligências  
 
A maioria dos juízes que está em teletrabalho devido à Covid-19 admite levar "mais tempo" a realizar as mesmas tarefas que executava presencialmente nos tribunais. Um dos principais motivos é a dificuldade com que os magistrados judiciais se deparam no acesso remoto aos processos em suas casas. Parte admite mesmo ser difícil ou muito difícil aceder ao Citius - a aplicação de gestão processual da Justiça.  
 
A avaliação às já mais de "duas semanas-de diminuição da atividade nos tribunais consta num relatório preliminar sobre questões que a Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), liderada por Manuel Ramos Soares, enviou aos juízes de primeira instância dos tribunais de recurso, judiciais, administrativos e fiscais, O objetivo do inquérito, a que o JN acedeu, passa por sinalizar "a forma como está" a correr e os "principais constrangimentos".  
 
RECEIOS PELA SAÚDE  
 
Quase 90% dos inquiridos admitiram que trabalharam cinco ou mais dias em casa, quer em processos urgentes e não urgentes, com as referidas dificuldades de acesso. Ainda assim, houve quem tivesse de ir aos tribunais. Essas deslocações, na maioria das vezes (52%), foram para consultar processos, para o adiamento de despachos (33,3%) ou julgamentos (26,3%).  
 
Nas diligências presenciais nos tribunais, 75% juízes admitiram que recearam, pela sua segurança e saúde. Mas mais foram os que disseram recear pela saúde dos outros . intervenientes (78,6%), até porque ouviram destes queixas sobre a falta de condições. A grande parte dos queixosos foram funcionários judiciais, advogados e magistrados do Ministério Público. Só 13,5% dos arguidos disseram estar com receio.  

Jornal de Notícias 06-04-2020
 

09/12/2021 01:40:46