O prémio

O prémio

Por: Luís Menezes Leitão, Bastonário da Ordem dos advogados

O País deve estar profundamente reconhecido aos profissionais de saúde, que têm permanecido na linha da frente de combate ao Covid-19, com a dificuldade de se tratar de uma doença completamente desconhecida, sem tratamento eficaz, e que acarreta um enorme risco para esses profissionais.

Já se verificaram várias infecções pelo vírus nos profissionais de saúde, tendo mesmo ocorrido a morte de um médico. Mas estes profissionais continuam silenciosamente no seu posto, prestando o tratamento possível aos doentes que todos os dias chegam aos nossos hospitais, conseguindo nalguns casos salvar-lhes a vida.

Foi por isso absolutamente despropositado o anúncio com pompa e circunstância da fase final da Liga dos Campeões em Portugal, que envolveu numa cerimónia em Belém as principais figuras do Estado e do Futebol, e que o Primeiro-Ministro anunciou como sendo um prémio aos profissionais de saúde.

Essa fase final vai representar um risco acrescido de infecções, como o foram os sucessivos eventos organizados em Lisboa.

Melhor seria por isso que não se dificultasse o trabalho aos profissionais de saúde, devendo o Governo colaborar com os mesmos, não permitindo focos de contaminação desnecessários.  


28/10/2020 06:24:26