Em Portugal, cerca de 70 crianças são tiradas por ano das ruas

O projeto Rua do Instituto de Apoio à Criança retira todos os anos das ruas, uma média, de 70 crianças e jovens até aos 18 anos. As equipas estão no terreno há mais de 30 anos.

Esta é uma realidade transversal a todas as classes sociais e a maioria dos casos de crianças e jovens que vivem na rua deve-se a fugas de instituições ou de casa. O retrato é traçado pelo Projeto Rua do Instituto de Apoio à Criança, no Dia Internacional para as Crianças de Rua.

Nos primeiros três anos, o Projeto Rua conseguiu dar uma nova vida a cerca de 600 menores que vivam nas ruas. O panorama melhorou mas Matilde Sirgado, coordenadora do projeto, afirma que os dados mais recentes ainda são preocupantes."No ano 2020 conseguimos comparativamente com 2019 perceber que há uma quebra, passamos de 85 crianças para 50 e acredito que tenha a ver com efeitos da pandemia."

Matilde Sirgado diz que "são crianças quase invisíveis". O problema é transversal a todas as classes sociais, atinge da mesma forma rapazes e raparigas e os motivos na origem da fuga são muitos. "Numa primeira fase tinha a ver com pobreza, agora é diferente. Vêm por rutura de relacionamento familiar, atração entre pares e com o desenvolver das tecnologias e Internet há uma atenção que tem que ser dada à segurança na Internet... muitas raparigas fogem à procura de um falso amor ou de uma oferta de emprego que não é real".

Conheça o Projeto Rua
As denúncias devem ser feitas para a Linha SOS Criança 116000. Todos os menores retirados das ruas são acompanhados pelo Instituto de Apoio à Criança, que entre os muitos mecanismos ativou um consultório social que dá atendimento psicológico, jurídico e social a todas estas crianças.

18/06/2021 03:00:32