2020 é um dos três anos mais quentes desde que existem registos. Ártico siberiano com 6ºC acima da média.

A Europa viveu o seu ano mais quente em 2020, enquanto partes do Ártico siberiano registaram 6 graus Celsius acima da média, de acordo com o relatório anual sobre o Estado do Clima Europeu divulgado esta quinta-feira.

A quarta edição do relatório do Serviço Europeu de Mudanças Climáticas Copérnico (C3S) detalhou as condições climáticas globais e europeias durante o ano passado, e procurou "quebrar o fosso entre a ciência e a sociedade", disse aos jornalistas o diretor de serviços do programa Copérnico no Centro Europeu de Previsões Meteorológicas de Médio Prazo, Jean-Noel Thépaut.

O estudo mostrou que as temperaturas na Europa continuam numa trajetória de aquecimento, e que, à escala global, 2020 é um dos três anos mais quentes desde que existem registos, um recorde que tem sido quebrado consecutivamente nos últimos seis anos.

No caso da Europa, em 2020 a temperatura subiu 0,4ºC acima dos anos mais quentes da última década, especialmente no outono e inverno, quando foi alcançado um novo recorde com um aumento de 3,4ºC sobre a média do período de referência, de 1981 a 2010.

Uma das cientistas responsáveis salientou que o relatório não se centrou apenas nos valores meteorológicos, mas utilizou todas as capacidades de monitorização, tais como os dados dos satélites.

 

Ver mais aqui

10/05/2021 00:17:35