Marcelo devolve ao Parlamento decreto sobre inseminação pós-morte

Em causa, para o veto presidencial, as disposições sucessórias.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, devolveu ao Parlamento esta quinta-feira o decreto relativo à inseminação pós-morte, requerendo que os deputados revejam as disposições sucessórias contidas no mesmo.

Em causa, segundo a presidência, "questões no plano do direito sucessório que o Decreto não prevê, uma vez que não é acompanhada da revisão, nem assegurada a sua articulação, com as disposições aplicáveis em sede do Código Civil, o que pode gerar incerteza jurídica, indesejável em matéria tão sensível".

Marcelo concretiza: "É o caso de o dador querer, expressamente, manter o regime do Código Civil, em detrimento do consagrado no presente diploma, no quadro do superior interesse da criança - a criança concetura ou nascitura, mas também outras crianças já nascidas do mesmo progenitor". Ou seja, segundo o Presidente, o atual decreto não é suficientemente claro ao proteger os direitos de filhos que já possam existir.

O chefe de Estado assinala ainda que "o decreto estabelece uma norma transitória, que determina que a possibilidade de inseminação 'post mortem' com sémen do marido ou do unido de facto é aplicável aos casos em que, antes da entrada em vigor da lei, se verificou a existência de um projeto parental claramente consentido e estabelecido".

Ler mais aqui https://www.dn.pt/politica/marcelo-deveolve-ao-parlamento-decreto-sovre-inseminacao-pos-morte-13602918.html

 

18/06/2021 02:58:43