Covid-19. A máscara é para continuar a andar no bolso

Destapam-se as caras na rua, mas regras mantêm-se em espaços fechados. Até quando? Em alguns contextos, talvez a máscara seja para ficar

As normas são estas: a partir de segunda-feira deixa de ser obrigatório usar máscara na rua e em espaços exteriores mesmo quando a distância de segurança não está garantida, mas é recomendável que o façamos em todas as situações que impliquem aglomerados de pessoas, em eventos e no recreio das escolas. O nível de vacinação — Portugal deverá ter 85% da população elegível inoculada dentro de duas semanas — e a estabilização do número de casos permitem este aligeiramento, mas fica a pergunta: até quando teremos de usar máscara em espaços fechados? A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Governo estão alinhados e dizem ser cedo para definir prazos; especialistas e sociólogos projetam cenários.

Covid-19. Alívio de restrições só após nova reunião no Infarmed. DGS vai emitir recomendação sobre máscaras

POLÍTICA

Covid-19. Alívio de restrições só após nova reunião no Infarmed. DGS vai emitir recomendação sobre máscaras

O médico de saúde pública Bernardo Gomes diz que, seguramente, até ao final do inverno — e põe a hipótese de a máscara ter vindo para ficar, ainda que apenas como recomendação e mesmo depois de cair o pano sobre a pandemia. Por exemplo, nas salas de espera de centros de saúde e de hospitais, por serem autênticas “incubadoras de doença”, Bernardo Gomes considera que daqui em diante se deveria utilizar, até para a mitigação da gripe, como aconteceu no último inverno. E que quando a época gripal começar não hesitará em mantê-la.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

21/09/2021 23:17:29