A necessidade urgente de se rever o regime da recuperação das empresas

 

1. Enquadramento

A pandemia teve, e continuará a ter, efeitos muito duros na realidade económica e empresarial. Diversas empresas foram impedidas de laborar; outras, só o puderam fazer parcialmente; e, outras, ainda, foram atingidas pelas limitações à circulação de pessoas e pela recessão económica geral. Foi em particular assim nas empresas do setor dos serviços, com ênfase no turismo e na restauração. Acumularam passivos e têm problemas crescentes e fortíssimos de liquidez.

O conjunto de medidas adotadas pelos entes públicos para minorar as suas consequências passou, e bem, por diversos apoios e pelo regime das moratórias legais. Mas essas medidas não eram, e continuam a não ser, em si, suficientes e estão a cessar.

 

Por isso, a resposta tem que passar, também, por mecanismos que, numa análise fina, permitam a restruturação das empresas, em especial as que estando fortemente desequilibradas financeiramente, tenham, neste pós-pandemia, viabilidade económica.

16/10/2021 15:54:42