Marcelo recebe esta tarde comissão independente que investiga abusos sexuais na Igreja Católica

O Presidente da República vai receber hoje, a partir das 16h30, a comissão independente criada para investigar os abusos sexuais na Igreja Católica, uma semana depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter garantido que não via razões para D. José Policarpo ou D. Manuel Clemente terem “querido ocultar crimes da justiça”.

O atual cardeal patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, teve conhecimento de uma denúncia de abusos sexuais de menores, revelou na semana passada o jornal online ‘Observador’, que visou um sacerdote do patriarcado, tendo mesmo encontrado-se pessoalmente com a vítima. Optou, no entanto, por não comunicar o caso às autoridades civis e manteve o padre no ativo como capelão.

“Aquilo que eu posso dizer – e nem é como Presidente da República, é como pessoa – é que o juízo que formulo sobre as pessoas e não os elementos da hierarquia católica, as pessoas D. José Policarpo e D. Manuel Clemente, é de que não vejo em nenhum deles nenhuma razão para considerar que pudessem ter querido ocultar da justiça a prática de um crime”, garantiu Marcelo Rebelo de Sousa.

O patriarca de Lisboa assegurou, no dia seguinte, que a “tolerância zero” a abusos é uma preocupação “desde a primeira hora”. Segundo D. Manuel Clemente, o seu antecessor, D. José Policarpo, que morreu em 2014, “acolheu e tratou o caso em questão tendo em conta as recomendações canónicas e civis da época e o diálogo com a família da vítima”. “O sacerdote foi afastado da paróquia onde estava e nomeado para servir numa capelania hospitalar”, acrescentou D. Manuel Clemente.

13/08/2022 10:39:17