Jornalistas estão em greve geral de 24 horas, a primeira em mais de 40 anos

É um protesto contra os baixos salários e a degradação das condições de trabalho numa altura em que o escrutínio é ainda mias crucial. Ao longo do dia desta quinta-feira há várias manifestações em todo o país e redações paradas.

A greve dos jornalistas abriu os noticiários em algumas frequências e deixou um vazio carregado de significado noutras. Nas bancas de jornais só amanhã se vão sentir os efeitos da paralisação, mas nas edições online por muito que se actualizem as páginas, os títulos permanecem praticamente os mesmos.

Os jornalistas portugueses aderiram em bloco à primeira greve geral em mais de 40 anos. A última paralisação aconteceu em 1982.

Mais de duas dezenas de órgão de comunicação social estão parados, estima o Sindicato dos Jornalistas.

Em Coimbra, dezenas de jornalistas estiveram reunidos em protesto no centro da cidade. No Porto, a concentração ficou marcada para os Aliados palco habitual de muitas outras lutas.

A crise recente no grupo Global Media do JN, DN, TSF e Dinheiro Vivo, pôs a nu problemas que se arrastam há muito e reavivou reivindicações antigas.

Na rede da Agência Lusa não há notícias desde a meia noite, os jornalistas da agência noticiosa tinham feito greve há menos de um ano.

Há cerca de 5.300 jornalistas em Portugal, 80% com formação superior mas que levam para casa, em média, 1.225 euros ao fim do mês.

Ver mais https://sicnoticias.pt/pais/2024-03-14-Jornalistas-estao-em-greve-geral-de-24-horas-a-primeira-em-mais-de-40-anos-0befcf73

21/06/2024 04:22:16