Ordens profissionais juntam-se no apoio ao envelhecimento

Criar uma espécie de loja do cidadão temática para atendimento de utentes idosos é uma ideia ontem recuperada por Hernâni Caniço, médico e presidente do Forum Regional do Centro das Ordens Profissionais (FoRCOP).

Não é a primeira vez que se discute a necessidade da existência de um organismo de integração de cuidados de saúde, assistência social e articulação intergeracional, que promova a qualidade de vida dos cidadãos idosos e o envelhecimento ativo, mas o tema voltou à ordem dia no colóquio “Envelhecimento no século XXI”, envolvendo as 15 principais ordens profssionais.

Os seis temas em debate foram: “Estar bem com a vida, em realização profissional”, “Criar é viver, conhecer e capacitar”, “Vencer os anos, longevidade e tecnologia intergeracional”, “Velhos são os trapos”, “Inclusão, multiculturalidade e Direitos Humanos” e “Inovar para viver”.

O envelhecimento ativo é um tema tranversal aos vários setores profissionais, razão pela quais foram oradores Lúcia Santos, da Ordem dos farmacêuticos; Pedro Alves Loureiro e Filipe Veiga de Oliveira, da Ordem dos Advogados; Joana Ferreira, da Ordem dos Enfermeiros; Renata Benavente, da Ordem dos Psicólogos; e o anfitrião, Manuel Veríssimo, da Ordem dos Médicos, para além do cantor José Cid, de 82 anos, que participou como orador, para dar o testemunho de uma carreira na música de mais de seis décadas. 

Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento

Em complemento , Coimbra prepara-se para receber, dentro de pouco mais de dois meses, a 2.ª edição do Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento (MIA) – Ageing Spring School.

Vai ter lugar de 27 a 29 de maio, com o objetivo de “proporcionar formação avançada e intensiva na área do envelhecimento”, adianta a organização.

Esta iniciativa destina-se a estudantes de doutoramento e investigadores em início de carreira, com interesse na área da biologia do envelhecimento. Durante três dias, os participantes selecionados terão oportunidade de discutir os seus projetos de investigação e aprofundar conhecimentos em temas como os mecanismos biológicos, epigenoma, e sinalização celular do envelhecimento.

UC Biomed regista atraso

Sobre o funcionamento do MIA, será o primeiro grande centro de referência do sul da Europa na investigação do envelhecimento mas, para isso, aguarda a conclusão e apetrechamento do edifício UC Biomed, em construção no Polo 3 da Universidade de Coimbra (UC), onde vai passar funcionar. Todavia, a entrada em funcionamento do UC Biomed não irá acontecer antes de 2025, de acordo com informações recentes da reitoria, embora a primeira pedra tenha sido lançada em outubro de 2021.

30/05/2024 16:50:42