Bastonária da Ordem dos Advogados preocupada com extinção de manifestações de interesse

Fernanda de Almeida Pinheiro visitou esta quarta-feira um centro de refugiados, onde reagiu ao plano de migrações do Governo.

A Bastonária da Ordem dos Advogados vê com preocupação a extinção da manifestação de interesse nas medidas apresentadas pelo Governo no plano de para as migrações. Fernanda de Almeida Pinheiro espera que a medida seja temporária até serem resolvidos os milhares de processos em espera.

O espaço "A criança" acolhe quase 100 refugiados entre os quatro meses e os 12 anos de idade. Antes da visita à instituição, a bastonária da Ordem dos Advogados, Fernanda de Almeida Pinheiro, em declarações aos jornalistas mostrou-se preocupada com a extinção da manifestação de interesse por parte do Governo.

"Eu vejo com preocupação esta questão porque o facto de pararem a possibilidade se se poder fazer manifestação de interessa. Isso significa que há pessoas neste país que vão ficar a aguardar durante muito tempo a sua situação ser regularizada. A verdade é que também temos muitas outras que o fizeram há muito tempo e que estão a aguardar uma resposta do Estado e o Estado não pode falhar desta forma", afirma.

A visita também foi acompanhada pelo vice-presidente do Conselho Superior da Magistratura, que defende a criação de um tribunal para a imigração e asilo, às semelhança do que acontece noutros países da Europa.

"Seria muito importante, poucos países da europa têm. Tem o Reino Unido, Chipre, Itália, Noruega, mas Portugal não tem e deve dar o exemplo porque não temos uma opção de emigração e de requerentes de asilo tão grande como nos outros países. Portanto, podemos fazer as coisas de forma mais decente e equilibrada", garante Luís Azevedo Mendes.

A presidente do Instituto de Apoio à Criança também esteve presente e pediu um reforço da capacidade de resposta aos mais vulneráveis.

"Portugal tem sido um pais de acolhimento, com preocupações humanitárias. Realmente nós temos feito um esforço grande e a visibilidade que é dada a este problema que sirva para acelerarmos os processos por isso é que falo no investimento em recursos humanos que é fundamental", pede Dulce Rocha.

A visita à instituição fez parte do programa de comemoração do Dia da Criança, com o objetivo de sensibilizar a sociedade para a situação dos refugiados.

Ver video 

 

16/06/2024 09:56:54