Ordens profissionais do centro vão dedicar atenção à inteligência artificial

A Inteligência Artificial (IA) vai ser o tema principal do próximo biénio do Fórum Regional do Centro das Ordens Profissionais (FoRCOP), cuja presidência passou dos Médicos para os Farmacêuticos.

O tema anterior foi “Inovar para viver”, dedicada ao envelhecimento, conforme referiu o presidente cessante do FoRCOP, o médico Hernâni Caniço, numa reflexão sobre evitar a solidão, promoção da saúde, da cultura e do lazer

O clínico acentuou, ainda, que 40% das doenças podem ser evitadas se “mudarmos de vida”, preconizando medidas que promovam a inclusão social, evitando o empobrecimento, e o bem- -estar psicológico e físico.

A presidência do Fórum para o biénio 2024/25 é assumida pela Secção Regional do Centro da ordem dos Farmacêuticos, representada na sessão pela secretária- -geral Lúcia Santos, a qual destacou a importância de abordar a Inteligência Artificial, uma realidade que motiva “reservas e receios”, mas com “um ritmo que ultrapassa a nossa capacidade de compreender”.

Nesta sessão do FoRCOP participou o Físico e Professor Catedrático Carlos Fiolhais, que procurou responder à questão “A Inteligência Artificial é o caminho?”. Para além de explicar o que é, como se desenvolve e funciona a IA, o cientista Carlos Fiolhais considerou que a Inteligência Artificial está aí e é o caminho. “Querar pará-la é como tentar suster o vento com a mão”, considerou.

O Fórum Regional do Centro é constituído por 16 Ordens Profissionais: Médicos, Psicólogos, Farmacêuticos, Advogados, Arquitectos, Economistas, Enfermeiros, Engenheiros, Engenheiros Técnicos, Médicos Dentistas, Médicos Veterinários, Notários, Solicitadores e Agentes de Execução, Revisores Oficiais de Contas.

O Fórum tem desenvolvido a sua actividade desde 2003, em prol do conhecimento técnico-científico, das necessidades das populações e em estreita articulação com a sociedade civil. O FoRCOP tem sede em Coimbra, e uma abrangência de muitos milhares de profissionais da Região Centro, aproximando uma parcela relevante da sociedade civil qualificada dos legítimos interesses da população e instituições comunitárias.

16/06/2024 10:00:21