Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina | 6 de Fevereiro

Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina | 6 de Fevereiro

O dia 6 de fevereiro foi consagrado, pela Organização das Nações Unidas, como o Dia Internacional da Tolerância Zero Contra a Mutilação Genital Feminina.

As Nações Unidas estimam que pelo menos 200 milhões de meninas e mulheres tenham sido vítimas de Mutilação Genital Feminina (MGF) e que a cada ano há quase 4 milhões de meninas a mais em risco (8 mil mulheres por dia). A organização enfatiza que estas mulheres e crianças são vítimas de “um dos atos mais desumanos de violência baseada em género no mundo.”

Hoje a ONU reafirmou o seu compromisso em acabar com esta “violação dos direitos humanos” e três agências da organização a "Unicef", "Fnuap" e "ONU Mulheres" pedem medidas para a erradicação da prática até 2030.

A mutilação genital feminina ocorre em observação de rituais regionais e resulta em sérias hemorragias, quistos, infeções, problemas urinários, infertilidade, problemas no parto e risco de morte natal.

Ela é mais frequente em jovens até aos 15 anos, na África e no Médio Oriente. Estima-se que existem cerca de 140 milhões de mulheres e meninas, espalhadas por 29 países do mundo, a viver com alguma forma de mutilação genital feminina.

O primeiro estudo realizado no país sobre a prevalência da mutilação em Portugal, indica que 6.576 mulheres foram submetidas a mutilação, das quais 5.974 pertencem à comunidade imigrante da Guiné-Bissau, 163 da Guiné - Conacri, 111 do Senegal e 55 do Egito.

 

Fonte: ONU 

16/02/2019 13:18:44