Falecimento do Professor Doutor Adriano Moreira

Falecimento do Professor Doutor Adriano Moreira

O Senhor Bastonário, Prof. Doutor Luís Menezes Leitão, e o Conselho Geral manifestam o seu mais profundo pesar pelo falecimento do Senhor Professor Doutor Adriano Moreira.

Adriano Moreira nasceu a 06 de Setembro de 1922, licenciou-se em direito pela Universidade de Lisboa em 09 de Outubro de 1944, e inscreveu-se como advogado em 20 de Junho de 1946, exercendo advocacia na comarca de Lisboa.

Enquanto advogado, em 1948 foi o responsável pela petição do primeiro "habeas corpus" de que há memória em Portugal, a favor do General Marques Godinho e do Almirante Mendes Cabeçadas que, em virtude da sua participação no movimento da Junta de Libertação Nacional, foram presos por ordem do então Ministro da Guerra, Fernando dos Santos Costa, vindo o General Marques Godinho a falecer na prisão, devido aos problemas cardíacos de que padecia.

Adriano Moreira prestou então assistência jurídica à família do General Marques Godinho. Em causa estava uma ação instaurada pela família do general contra o Ministro da Guerra, acusado de ser responsável pelo homicídio do General Marques Godinho. 

Por causa da defesa da família de Marques Godinho, Adriano Moreira foi preso no Aljube, onde se tornou companheiro de cela de Mário Soares, que ali se encontrava preso, também por motivos políticos.

Adriano Moreira foi também um destacado Político, Professor Universitário e autor de várias obras literárias, políticas e jurídicas. Como Político foi Secretário de Estado da Administração Ultramarina em 1959 e Ministro do Ultramar entre 1961 e 1963. Após o 25 de Abril foi Deputado à Assembleia da República entre 1983 e 1995, líder do CDS entre 1986 e 1988, e membro do Conselho de Estado entre 2015 e 2019. Como Professor Universitário, foi o responsável pela reforma do ISCSP, escola de que viria a ser Director. 

Foi recentemente homenageado pelo Senhor Bastonário, que integrou a mesa da comemoração do seu 100.º aniversário, durante cerimónia pública organizada pela Casa de Trás os Montes e Alto Douro de Lisboa, onde proferiu também um discurso em sua honra.

O corpo vai estar em câmara ardente, a partir das 20h00 de segunda-feira, dia 24 de Outubro, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. A missa de de corpo presente realizar-se-á na terça feira, dia 25 de Outubro, às 12h00.

Segue-se o funeral que será reservado à família.

 

24/07/2024 18:57:27